Front-end em três etapas: proposta de modelo para estruturação do processo de captação de oportunidades no design de novos produtos orientados para a inovação.

Igor Escalante Casenote, Júlio Carlos de Souza van der Linden

Resumo


O ritmo atual de consumo e produção sofre com uma escalada exponencial que se perpetua desde o período pós-guerras, com consumidores ansiando por novos produtos com a mesma velocidade que os rejeitam. Face a esse contexto, é nos processos de desenvolvimento de novos produtos que está a oportunidade para a manutenção da competitividade das organizações pela inovação, mais especificamente nas etapas relativas à captação de oportunidades para novos projetos, também chamadas de fuzzy front-end. O objetivo deste artigo, excerto de uma tese de doutorado, é evidenciar a construção de um modelo conceitual que oportunize a estruturação do front-end, muitas vezes desencadeado de forma intuitiva e abstrata. Para isso, foi realizada uma revisão de literatura teórica integrativa sobre os principais modelos de processo de desenvolvimento de novos produtos, que após analisados e discutidos geraram base para o modelo FE3, posteriormente validado pela aplicação em um estudo de caso múltiplo e holístico. O resultado é um modelo matricial que comporta a estruturação de etapas relativas à captação de oportunidades e que pode auxiliar no desempenho e aprendizado de subprocessos muitas vezes pouco gerenciáveis pelas organizações.


Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, D. Revisão de Literatura, Referencial Teórico, Fundamentação Teórica e Framework Conceitual em Pesquisa – diferenças e propósitos. Working Paper, 2016. Disponível em: . Acesso em: 08 de agosto de 2017.

BERTELS, H. M. J.; KLEINSCHMIDT, E. J.; KOEN, P. A. Communities of practice versus organizational climate: which one matters more to dispersed collaboration in the front end of innovation? Journal of Product Innovation Management, v. 28, n. 5, p. 757-772, 2011.

BEZERRA, C. Building innovation competencies. International Conference on Design Education, Innovation, and Practice, Alberta, Canada, 2005.

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C; MACEDO, M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade. Belo Horizonte, v. 5, n. 11, p. 121-136, 2011.

BURGELMAN, R.; CHRISTENSEN, C.; WHEELWRIGHT, S. Strategic management of technology and innovation. 4. ed. Boston: McGraw-Hill, 2004.

COOPER, R. G. Stage-Gate Systems: A New Tool for Managing New Products. Business Horizons, v. 33, n. 3, p. 44–54, 1990.

COOPER, R. G. From experience: the invisible success factors in product innovation. Journal of Product Innovation, n.16, p. 115-133. New York: Elsevier Science, 1999.

CRAWFORD, C. M. New Products Management. 11. ed. Illinois: Irwin, 2014.

DESCHAMPS, J.; NAYAK, R. Produtos Irresistíveis: Como operacionalizar um fluxo perfeito de produtos do produtor ao consumidor. São Paulo: Makron Books, 1996.

FREITAS, F. R.; CARVALHO, C.O.; MENESCAL, R.E. Design Emocional e o designer como interpretador de desejos e necessidades: Revisão de Literatura. Estudos em Design, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p.1-18, 2010.

HANNOLA, L.; OVASKA, P. Challenging front-end-of-innovation in information systems. Journal of Computer Information Systems, v. 52, n. 1, p. 66-75, 2011.

HOSPERS, G. Joseph schumpeter and his legacy in innovation studies. Knowledge, Technology & Policy, v. 18, n. 3, p. 20–37, 2005.

HUGHES, G.D.; CHAFIN, D.C. Turning new product development into a continuous learning process. Journal of Product Innovation Management, v.13, n.2, p.89-106, 1996.

KHURANA, A.; ROSENTHAL, S. R. Integrating the Fuzzy Front End of New Product Development. Sloan Management Review, v. 38, n. 2, p. 103–120, 1997.

KIM, J.; WILEMON, D. Sources and assessment of complexity in NPD projects. R&D Management, v. 33, n. 2000, p. 15–30, 2003.

KOEN, P.; BERTELS, H. M. J.; KLEINSCHMIDT, E. J. Managing the Front End of Innovation — Part II. Research Technology Management, v. 57, n. 3, p. 25–35, 2014.

MARTINSUO, M. Teaching the Fuzzy Front End of Innovation: Experimenting with Team Learning and Cross-Organizational Integration. Creativity and Innovation Management, v. 18, n. 3, p. 147–159, 2009.

MOOTEE, I. Strategic Innovation and the Fuzzy Front End. Ivey Business Journal, v. 75, n. 2, p. 38–42, 2011.

OECD. Manual de Oslo - Proposta de Diretrizes para Coleta e Interpretação de Dados sobre Inovação Tecnológica. 2006. Disponível em: http://www.finep.gov.br/images/apoio-e-financiamento/manualoslo.pdf. Acesso em: 14 dez. 2017.

REID, S.E.; BRENTANI, U. The fuzzy front end of new product development for discontinuous innovation: a theoretical model. Journal of Product Innovation Management, 21, 170–184, 2004.

ROGERS, E. Diffusion of Innovations. 5. ed. Nova York: Free Press, 2003.

SANTOS, F. N. V. Método aberto de projeto para uso no ensino de Design Industrial. Revista Design em Foco, vol. 3, no. 1, p. 33-49. 2006.

SMITH, P.; REINERTSEN, D. Developing Products in Half the Time. Nova York: Van Nostrand Reinhold, 1991.

SUAREZ, T. M. Desenvolvimento de um modelo customizado de PDP para uma empresa mista de produtos e serviços. Porto Alegre: UFRGS, 2009. Dissertação (Mestrado) – Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

TEZA, P.; MIGUEZ, V. B.; ABREU, A. F. Front end da inovação: um estudo bibliométrico da literatura. IV Seminário de Pesquisa Interdisciplinar, 2012.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. Gestão da inovação. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.

VERGANTI, R. Inovação pelo design. Harvard Business Review Brasil, v. 85, p. 66-73, 2007.

VERWORN, B.; HERSTATT, C. Approaches to the fuzzy front end of innovation. Working paper, n. 2, 1999.

YIN. R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3 ed., Porto Alegre: Bookman, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.